Mais de 30 entidades solicitam a revisão, como a Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação.
O presidente executivo da Brasscom, Sérgio Paulo Gallindo, destaca a importância de que o veto caia e a desoneração siga até o fim de 2021.