Setores afetados pelo veto do presidente Jair Bolsonaro à desoneração da folha de pagamento encaminham um ofício ao Congresso.
No documento dirigido ao presidente do Senado, David Alcolumbre, os representantes pedem que o veto seja derrubado pelos parlamentares.

Mais de 30 entidades solicitam a revisão, como a Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação.

O presidente executivo da Brasscom, Sérgio Paulo Gallindo, destaca a importância de que o veto caia e a desoneração siga até o fim de 2021.

 

Atualmente, a prorrogação da desoneração da folha de pagamentos que beneficia 17 setores da economia vale só até o fim de 2020.

A queixa é de que, se não houver a extensão do período por mais um ano, será preciso demitir em meio a pandemia de coronavírus.

O presidente da Brasscom destaca que ainda que oportunidades deixarão de ser criadas.

 

Outro setor que pede a manutenção da desoneração da folha por mais um ano é o de call center.

Caso contrário, haverá perda de empregos, destaca o presidente da Associação Brasileira de Telesserviços, John Antonhy von Christian.

 

Na Câmara, o presidente Rodrigo Maia acredita que haverá maioria para derrubar o veto do presidente Jair Bolsonaro.

Ele ressalta, porém, que a desoneração terá um custo de cerca de 10 bilhões de reais.

E esse valor terá que sair de uma reorganização da peça orçamentária que será aprovada até o fim do ano.